Meus livros

BannerFans.com

sábado, 16 de novembro de 2019

Pensamentos noturnos


Bebi o luar na tua boca
Bebi estrelas
Bebi a noite
E tudo nela refletida.
Meu Deus, embriaguei-me do infinito!
Bebi a vida.

Logo transpirava luz.
E a sede nunca sessa
Logo bebi os horizontes
E no alvorecer os montes
Todas as cores do dia.
Ai, meu Deus, bebi a harmonia.


Hoje tudo tenho
Tudo está em mim
E tudo me faz falta
_ sem ser ausência _
Tudo tornou-se eterno, vivo
E por consequência,
Ressurreição eterna
O céu habita em mim
_ E por consequência, o beijo _
Como num abismo sem fim.

O que fazer, meu Deus, de tanta vida a brotar dentro de mim?!

A tua ausência me aproximou-me tanto de mim!
Agora me sinto mais completo
E a falta que hoje sinto de ti nem é falta,
É necessidade de ter-me ainda mais perto.


Não devo querer ser mais do que sou
– se ainda não sei quem sou eu –
De repente já sou mais que suficiente;
Mais que bicho, quase anjo,
Um pouco gente.

Já que há consciência
Não quero pressa
Nem preciso mais paciência.
Sê eu me bastaria.

A beleza sem mim simplesmente não existe;
Pois sem meu olhar nada é colorido.
Nem mesmo a música faz-se alegre ou triste,
É sem sentido
Sem a crítica dos ouvidos.

Mas toda beleza do mundo cabe nos meus olhos
– e ainda sobra espaço para a imaginação –
Quer maior motivo para se viver?
Quer maior perfeição?

Talvez a melhor e única maneira de ser eterno seja compartilhar a vida.
Talvez,
Tudo de nós.
Talvez nada seja nosso, nem meu ou teu.

O dono da vida é o ar
Nada lhe resta
Se este lhe faltar.

Isso explica Deus ter-nos feito à tua própria imagem e semelhança e ordenado a nós a própria multiplicação.
Deus é eterno, porque na Sua obra faz-Se eterna ressurreição.


*********­-*********-**********


Será que tive pensamento ruim?
Insônia?
Alguma coisa espantou os pássaros.

Meus versos?
Silêncio.
Vazia está a manhã.

Talvez seja o momento, a deixa para a minha voz, penso.
Ouvir é uma forma de dizer o que a alma sente.

Erguei os ouvidos e ouça:
Há um breve silêncio para o romper da aurora.

Há sempre um escolhido para a primeira nota.
E quebra-se o silêncio.
Nasce o dia.

No brejo, o coaxar sessa
O grilo, enfim, silencia.
Mas cigarras e 🐝 abelhas reabrem a sinfonia.

Donada o bebezinho acorda
_ mamãe, papai, não se zangue, não é agonia _
Há beleza e mistério nesse choro,
é louvor inocente, é alegria.
São 👼 anjos em coro entoando louvores
A vida refaz-se em harmonia.

Pare e pense.
Por que os pássaros cantam?
O que dizem?
Veja com ouvidos.
Ouça:
Os versos murmurados pela fonte
A gota de orvalho se desprende
O raio de sol que desce
O botão de flor se abrindo
No brejo, o coaxar sessa
O grilo, enfim, silencia
Mas cigarras e 🐝 abelhas reabrem a sinfonia,
Porque os ruídos da vida são acordes de alegria.
Viva, cante, dance...
E seja grato por mais um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário