Meus livros

BannerFans.com

domingo, 28 de julho de 2019

Inquietude


O que sou? Não há nenhuma alma que compreenda seu ônus? _ pergunta-se um indigno jesus.

E um anjo invisível responde:
Mas os ombros reconhecem a cruz que a ele pertence
E reclama para si a glória da santificação.

Pelas atitudes Deus santifica as coisas e aos homens.
Faça bom uso das coisas. Usai-as somente para o bem.
Assim, pelos seus atos o homem a si consagra a Deus, e Deus o santifica por completo.

Você tem ignorado a sua missão; aquela pela qual veio ao mundo.
É hora de sair das sombras.

Lembre-se, a sombra é um espaço entre a luz e as trevas.
Escolha a direção.

Todos os dias, do céu descem anjos em raios de luz.
Dos primeiros raios de sol até o crepúsculo, o sol das almas, anjos vem e vão aos céus. Estes transportam milagres.

À noite, descem como estrelas; transportam sonhos. Vem e vão.
Às vezes param em assembleia, na lua, discutem cada missão.

Ergue-se e baixa o sol e esperamos anjos agitar as águas.
Esperamos milagres.

Na solidão das nossas esperanças vimos a luz.
Seja debaixo do céu nublado e tempestuoso ou incrivelmente estrelado esperamos milagres.
E nos olhos agitam-se as águas de Siloé.

Busco o sagrado em tudo e nada vejo.
O que houve com o mundo? O que se deu com os homens?
O sagrado anda escasso ou talvez meus olhos estejam gastos…

O sagrado é o que dá sentido a vida.
Anjos, soprem hinos nos meus ouvidos!

Explica-me o anjo:
Dai e recebei.
Ser feliz é o melhor modo de servir a Deus.
Dedique, pois, a praticar o teu dom e serás feliz.

Aprenda com a natureza.
A árvore floresce e dá fruto
E por apenas cumprir seu dom fornece a sombra, abriga os pássaros, purifica o ar…
E humildemente se renova para novamente melhor servir.

Veja os pássaros, acaso se preocupam ou se queixam da métrica em seus cantos?
Por menos harmoniosos soem, nenhum ouvido são se cansa por ouvi-los.
São perfeitos.

A gota de orvalho é tão somente água; supre a necessidade da terra, mata a sede das almas pequeninas e purifica o homem.
Ela faz seu curso, logo é rio e oceano.

Aonde há pureza não há engano.

Alegre-se por ser semelhante, não queira ser Deus.
Deus é único, Ele é o todo, perfeito e soberano; somos suas partes.
Honrai-O praticando o teu dom, para o que foste criado.

Portanto, faça tudo com amor. Principalmente, faça o que ama.
Seja o que realmente é e para o que veio.
E expressa-te à vida como num espontâneo e simples gorjeio.

domingo, 21 de julho de 2019

Fingidor

Nosso amor, tão breve como um arco-íris, passou… Passou?
Passou o tempo, o amor ficou.
Não faria nenhum sentido a luz acesa quando o sol fez deste templo seu infinito: nascente e poente e brilho oculto.
Aqui, não existe mais escuridão.

Muito tenho fingido, sempre.
Vivo fingindo.
Finjo alegria, porque muitos são que não suportam tristeza
_ Angústia e tristeza são para os fortes.

Finjo tristeza também, porque muitos se alegram ao me ver triste.
Vivo para agradar aos semelhantes.
Não mais escondo minhas dores e aflições. Porém, isso não finjo.

Vivo para agradar aos semelhantes…
E meus semelhantes vivem me cobrando o que lhes falta.
Eles são muitos e, aliás, tem gosto muito peculiar.

Quanto a mim, alcancei o estado maior: o da indiferença.
Estou sempre bem, como um arbusto entregue às estacões.
Faça sol ou chuva, nevoeiro ou tempestade, calor ou frio, eu vivo e respiro o ar que das naturezas provém. E este me é aprazível, sempre.
Mas, para agradar ao homem, eu finjo.
O homem precisa da ilusão de felicidade, pois, somente a sensação de prazer alivia as angustias do caos.


Demoliram o templo
Demoliram a arte
Demoliram o homem
Sufocaram criatura
Apagaram o infinito.
Sem o juízo, à luz do conhecimento, quem poderá reconstruir o mundo?
Somente a chama da vida é capaz de resgatar o espírito.
Viver, pois, é mais importante do que a vida.
Levante a tua cabeça. Erga-te e siga.
De pé nossos olhos enxergam mais longe, amplia-se o horizonte, abre-se o infinito; Assim, portanto, estamos mais próximo Deus.

Eu sou intimo de Deus.
Eu sou obra da consciência Divina.
Eu sou espírito. Eu sou vida.
Eu sou luz Eu sou eterno.

Assim, pois, para eu sou não existe idade, porque não existe tempo.
Eu existo no amor. Se este migra, para aonde vai lá estou Eu sou.
Este corpo, com aparência de velho, sendo já, de muitas maneiras, abandonado, nada tem de mim, exceto um pouco de apego _ fraqueza humana.
Eu existo conforme a vontade de Deus.

domingo, 7 de julho de 2019

O fenômeno ser


Aconteceu-me este fato intrigante:
Eu mal fechara os olhos e lá estava eu, uma gota d'água.
Total silêncio.
Uma gota d'água que se forma continuamente no limbo de uma folha curvada sobre um fio d'água corrente. Esta desliza para a extremidade e se desprende e pinga num lago transparente, cristalino.
Eu podia ouvir o barulho da gota intumescer, se desprender e ir caindo até colidir no espelho d'água. E o som dos seus respingos nas pequenas ondas do lago eram quase inaudíveis. Era como um suspiro que cismo haver entre notas nas sinfonias de Beethoven.
E aquilo era eu: a gota, a vida. É como pensava eu mesmo sobre mim, sentado na pedra me observando.

Deitado, meditando e tentando dormir, senti receio de mover corpo físico e mente e quebrar aquele ritmo. Sou eu, é a vida, pensei. Senti a veia aorta dolorida, latente a jugular. Percebia gota a gota meu sangue fluindo. Em gotas?!

O que sou? Nasci. Deram-me um nome. Tive pressa de falar, andar, correr... E como corri! Acelerei o tempo.

Eis a luz do mundo. Logo queremos ser crescidos, adolescentes, jovens. Logo desejamos acrescentar umas letras a mais antes do nome. Depois, depois. Palavras, títulos, mais nomes.
Aceleramos o tempo e nele se cria vácuos, intervalos quase imperceptíveis no percurso da vida. Às vezes, de vez em quando, por sorte, somos sacudidos por uma colisão, um abalo sísmico.
Aí queremos desacelerar. Mas os pés se fizeram-se de chumbo. Estão pesados demais, presos aos minérios do chão. E você vê que correr não fora boa opção. Mais vale desprender-se e voar. Mas como?

E quer ser novamente um pouquinho mais jovem _ sonhar de regresso. Quer a juventude, a adolescência, a infância, quer correr sem sair do lugar, quer colo, quer abrigo, quer silêncio... Gota d'água.

Aí a gente conclue que quer apenas ser o que fora antes de ter nome. Ser o simples ser perfeito, tão imensamente pequeno universo divino, compacto, simples fruto do amor, chamado simplesmente milagre: presente de Deus.

Entanto, por sorte, é hora de dormir.