Meus livros

BannerFans.com

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Pores do sol


Sinto-me mais enfraquecido a cada pôr do sol.
Quisera eu o sincronismo do pensar, sentir, e viver.
Mas não sou tão forte quanto imaginava ser.

Embora certas manhãs eu acorde bem-disposto
A minha alma enfraquece ao longo do dia, morre
Morre um pouco a cada sol-posto.

Morre um pouco.
Minh’alma,
Morre ao entardecer.
De que outra forma seria
Acaso, sem poente, o sol voltaria nascer?

Morre. Morro.
Morre a alma,
Morro o corpo.
Sou um e outro; tudo
Um pouco.

Não sei bem quem ou que eu sou
Sou o que sinto
Muito sinto do que vejo
Ali estou.

Vejo muita coisa invisível
Todavia tangível estou
Quando, tanto quanto visível
Porque vejo e sinto.

Por isso sofro
E muitos eu sofre em mim
Porquanto, hei-me pouco inteiro

No fim tudo é começo
_ isso porque sou otimista.
Sem destruir sonhos, contudo
Morre homem, sonhador, alquimista.,,

Pores de sol e novo amanhecer,
Acaso, sem poente, o sol voltaria nascer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário