Meus livros

BannerFans.com

sábado, 5 de janeiro de 2019

Aos donos da pátria

Pátria amada
desarmada
desalmada
Da esperança tua fizeram mito.

Teus filhos legítimos, agora
novamente vencidos
sem norte vagueiam. Por hora
sonâmbulos bambeiam, incrédulos
N'algum ponto do abismo.

Pátria amada
Desamada
Nenhum guerreiro lhe resta:
semideuses e deuses e tribos;
Inda assim teimo, me armo
_ de sinistra à destra _, arrisco.
Prisioneiro fico.

Do norte, do centro-oeste, sopra vento duro,
mas quem ousará apagar a cicatriz, o sonho, a vontade;
a digital que se cravou nos muros?

Nenhum comentário:

Postar um comentário