Meus livros

BannerFans.com

domingo, 8 de janeiro de 2017

Coisas suburbanas

(Do livro "Só para os íntimos", por Poetray, em breve no Agbook)

No dia seguinte eu fiquei só com os meus pensamentos. Quando o ônibus deu partida ela ainda não havia chegado. Após a primeira curva eu a avistei vindo apressada, mas estava longe. Havia outras mulheres, tão bonita quanto, bem pertinho de mim, embora atraentes não vi nada que inspirasse nenhuma sacanagem. Uma até invadiu meu pequeno espaço entre os bancos. Mas o pensamento na lembrança da mulher ausente predominou.
Dois dias depois, numa sexta feira, ela entrou no ônibus e ficou exatamente encostada em mim, esfregando a xoxota no meu ombro. Titubeie no que fazer. Ofereci o lugar.
_ Sente-se, por favor.
_ Obrigado _ Ela sorriu lindamente _, eu estou bem.
Ofereci-me para segurar a bolsa. Era cara, de marca, couro legítimo. Deixei a bolsa no colo, o que foi muito útil para esconder a manifestação do garotinho querendo saltar para fora. E a blusa que ela trazia no braço escondia o meu ombro encaixado entre as suas coxas. Parecia estratégia. Juro que em pouco tempo senti cheiro forte, adocicado, de mel e flores ao sol. Ao olhar para cima, para iniciar uma conversa duradoura, ela mordeu os lábios e fechou os olhos. Fiquei sem palavras. Meu ombro começou dar fortes impulsos, como se tivesse levando choque, como se soluçasse. Eu também fechei os olhos. Concentrei-me no perfume. Flores do campo. O garotinho remexendo dentro das calças se enforcava num pentelho. Tão desastrado, o pobrezinho.
_ Hei, acorde _ ela disse, me alisando os cabelos e pegando a bolsa _ chegamos.
_ Nossa! Tão rápido né?
_ É verdade, que pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus livros

BannerFans.com