Meus livros

BannerFans.com

domingo, 27 de novembro de 2016

Eu gozo, tu gozas

Rasguei minhas cartas suicidas
Recolhi a corda, joguei a cadeira fora;
Pontuei com reticência a última palavra
Para que não me matem antes da hora.

Os puritanos se deleitam em mutilar desejos
Do homem
Com os quais se atormentam por não poder gozá-los
Ainda vivendo.
Mas eu me recuso a morrer antes do tempo,
Com fome
Pois quero antes deliciar do fim o orgasmo pleno .

Teus lábios, minha cereja
A língua tesa na membrana, arde
Lambe do escroto à cabeça
Igual a sorvete de chocolate.

Chupa... beija, lambe, chupa...
Esconde inteiro na boca, ansiedade louca
E a gente confunde prazer e dor
E toda angustia que o sexo oculta.

A gente se esquece enquanto se funde
O chocolate aquece e derrama igual a chantili
Eu amoleço e você amolece,
Mas o clitóris se aborrece implorando o fim.

Teus lábios, minha cereja, tudo é teu e meu,
Gozo soberano
Entrada e ceia no banquete profano
Nos leva aos céus, em doce abandono.
Mas antes, mais um deleite, beijos,
Depois sono.

Podemos ficar assim, adormecidos,
Esperando o recomeço ou novo fim.
Bom demais ejacular o orgasmo mundano,
Na cara do mundo orgulho, somos sujos,
Divinamente, porém, somos humanos.

Eu gozo, tu gozas, nós gozamos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus livros

BannerFans.com