Meus livros

BannerFans.com

domingo, 28 de fevereiro de 2016

O fim




Acabou como desilusão, o amor,
De tão lindo começo,
Tanta admiração e apreço,
E finda, assim,
Em dor.

Ontem, me tiraste a rosa predileta,
A luz da minha alegria,
Escondeste dos meus olhos o teu sorriso.
Por gentileza, amor, te peço,
Finda logo está sorte inglória;
Em nome Deus, por favor,
Dê-me logo o tiro de misericórdia.







sábado, 27 de fevereiro de 2016

O último poema




Posso escrever versos muito tristes esta noite,
Porém quero evitar,
Porque a tristeza que hoje envolve minha alma é orgulhosa,
É orgulhosa e ao mesmo tempo humilde
Porque nela tem gratidão por quem um dia soube me amar.

Chamei, ainda a pouco, essa tristeza de tormenta,
Mas não é tormenta,
É ansiedade e compaixão;
Meu coração está em pedaços
E uma alma sem rumo só enxerga escuridão.

Minha alma tornou-se apaixonada demais e carente
Totalmente dependente da mulher amada;
E na ausência do único e grande amor
Nada consola a alma desolada.

A paixão é tanta
Que essa pobre tristeza sente pena de si mesma.
Pensando bem, não é tristeza nem tormenta,
É paixão apenas;
Uma paixão tamanha
Que a própria paixão não se aguenta.

Posso escrever versos muito tristes esta noite, neste último poema,
Mas quero evitar,
Porque ela mesma, meu amor, escolheu de mim se resguardar.

O amor que sempre me deu paz alegria quis voar
Quer ultrapassar novos horizontes, vencer fronteiras, subir ao céu, cruzar o mar;
Escolheu viver de aventuras, ir sempre além, mostrar que sabe voar...
Porém, eu decidi mantê-lo vivo dentro de mim, em repouso no seu altar.

Serão noites de tormenta as que virão.
Acho que o coração não queira suportar.
E uma angústia se mistura a desejos
E tenho visões que me fazem delirar.

Noite de tristeza e tormenta virão.
Já sinto uma tristeza infinita
De pensar que outro se deleita com seus beijos
Enquanto minha alma exausta adormece aflita.

Vou deixar em aberto o verso, com reticência no fim,
Não quero a tristeza e a tormenta como heroínas
Que encerram nossa história de amor como um trágico dilema.

Prefiro pensar que é mudança de clima,
Transição de estação para a renovação do jardim;
Assim preservarei a esperança sem mácula ou pena
E posso estender vida a fora este o último poema.

Mas serei eterno silêncio,
Um poema mudo, um sussurro sem fim.
E nunca mais em verso citarei seu nome,

A menos que um dia você volte pra mim.





Tormenta




Bem, estou no meio de uma tormenta
Que abala a minha alma;
Quando não estou usando máscara
Eu choro e deixo transparecer a dor.
Você deve aprender a enxergar isso,
Porque sou original diante de você.

Quando estou ao seu lado me sinto nu,
Mas assim me sinto confortável;
Embora me sinta mais sensível e vulnerável,
Mas ao seu lado é que eu me sinto bem.
Você deve saber disso,
Você muitas vezes secou minhas lágrimas.

Já molhei seu ombro com o meu pranto,
Fui criança no seu abraço,
E ouvindo seu coração batendo forte
Muitas vezes adormeci em paz
E acordei livre de todo cansaço.
Você se lembra dessas coisas?

A minha vida é um livro aberto,
Um emaranhado de tentativas e erros,
Eu mesmo me perco quando o leio;
Mas você sabe ler nas entrelinhas,
E sabe que é todo amor, amor verdadeiro,
A estrofe que tem nosso amor em permeio.

Você me resgatou e me transformou nesse cara
Que hoje acredita na felicidade.
Você me ensinou a conquistar a dor,
Me ensinou que é preciso ter fé e lutar.
Você não pode ter esquecido esse gesto de amor;
Quem ama não abandona a quem ensinou amar.

Você sentiu que valia a pena me tirar do fundo do poço.
Viu que alguma coisa em mim me tornava amável;
E amor é tudo que move minha alma
Foi por isso que me salvou naquele resgate.
Você que é tão inteligente deve saber disso,
Não se abre mão de um amor de verdade.

O amor é a maior prova de milagre,
Só o amor verdadeiro alimenta a alma.
Mesmo que achemos pouco os momentos de carinho,
Mesmo que lamentemos essas migalhas que a vida oferece,
Se é o que temos, sejamos gratos, e é o que basta
Até que Deus ofereça mais as nossas almas.

Se você acredita no amor, como eu acredito,
Sabe reconhecer o amor verdadeiro;
Então irá abraçar este amor com carinho e protegê-lo,
E vai esperar o tempo certo da nossa liberdade,
E viveremos livres de preconceitos e julgamentos.
Aí teremos a eternidade de gozo a que temos direito.

Mas se você quer partir, então vá, é direito seu.
Você é um anjo, e anjos salvam vidas;
Certamente outra alma em agonia esteja precisando de ajuda,
Então é seu dever salvá-la.
Talvez seja parte do plano de Divino você me deixar caminhar sozinho.
Eu seguirei meu caminho, sem mágoas, sem queixas.

Aprendi que não devo me isolar.
Você me ensinou que nunca mais devo ficar sozinho.
Mas estou com medo,
Estou no meio de uma tormenta que abala minha alma;
E já não caibo mais dentro de nenhuma máscara.
E eu choro e deixo transparecer a dor.
Você sabe o que é isso: solidão.
Você sabe o que é sentir sufocado o coração.

Enfim, obrigado, meu amor!





quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Algumas verdades

Algumas verdades assustam,
essas verdades ignoradas e de valores invertidos, 
quando as reconhecemos,
a dor fere e sangra
e dói mais do que dor da pior mentira.

Certas verdades, melhor não dizer; 
se as disser será julgado covarde, cruel, falso.
Não somos educados para ouvir e lidar com verdades.

Certas verdades, melhor ignorá-las.
O amigo vira a cara
a família o deserda
a cônjuge, particularmente, o despreza
a sociedade o julga e discrimina
as religiões o crucifica
a pessoa amada o condena
você cai;
e você caído, todos espezinham seu corpo até imaginarem que até o seu espírito também caíra.
Aí, melhor fingir de morto o mais depressa possível.
Pessoas se deleitam quando podem sapatear sobre pessoas.

Já algumas verdades tratadas,
verdades de valores invertidos,
são criadas para enganar os desatentos:

Querer é poder
Mentira, poder é superior ao querer, é mais forte e determinante para as realizações. Se você tem poder, basta querer, se não o tem o querer será como sonho frustrado, ilusão.

O amor liberta
Mentira, o amor aprisiona. Faz de ti um prisioneiro egoísta e o induz a ser cárcere para aprisionar outras almas livres.

Você é o que você acredita ser
Mentira, você é como as pessoas o reconhece. Se te acham burro, você é burro, se te acham sensível, bom e inteligente, assim você é: sensível, bom e inteligente. Ou seja, você não é a imagem que você produz e vende, você é aquilo que as pessoas julgam e compram. E o pior, como elas te julga ser é isso o que elas revendem.

Somos todos iguais
Mentira, somos diferentes. Somos diferentes em tudo. E nem aos olhos de Deus somos parecidos, pois não há como ser feio e bonito perfeito e horrivelmente imperfeito. 
À imagem e semelhança de Deus? Não, Deus Se autodeclara único, portanto é definido.

Na bíblia tem uma passagem que diz que você não deve ser morno, porque se assim o for será rejeitado por Deus; portanto você tem de ser quente ou frio.
O que isso quer dizer?
Tudo.

Então se prepare, porque viver é uma tarefa bem complicada.
E lidar com a verdade dói. Dói muito.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

O teu sorriso de luz


Entre tantas tormentas
Aflições
Aparece o teu sorriso
Emergindo da escuridão
como raio de sol entre nuvens tempestuosas.

Trovões,
relâmpagos riscando a escuridão.
Susto, pânico, temor vão.
O que antecede a paz são violências e ameaças, guerra.
E o que se instala é silêncio absoluto,
ausência de medo,
e com tempo reconhecemos estranha harmonia.

Quando as mãos do tempo rasgam o véu da escuridão e o dia mostra os dentes alvos,
E sibila a brisa nos cabelos da vida,
Então, o céu sorri exibindo suas plumas coloridas.

Anjos, em coro, cantam hinos.
Os astros dançam.
E todas as estrelas aplaudem ao ritmo dos louvores.

É assim o teu meigo sorriso iluminando tua face
E alegrando a minha vida.

Ah, sem você, o que seria de mim?

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Viagem



Às portas da nave silêncio
Velas acesas
Faróis apagados
Frio e solidão.

Se ainda se ouve
Se pensa ou não pensa
Nada importa
Exceto o pulsar
Se vibra ainda o coração;
O resto é silêncio
Mistério e ilusão.

A viagem é cortejo.
Música desafinada
Anjos em coro
Flores arranjadas
Flutuar em andor
Alma desamparada
Insensível a dor, a choro
Lágrimas desperdiçadas.

Se amou, amou.
Amor vivido ou negado
Nada mais importa;
Exceto o pulsar
Daquele que fica
Se vibra o coração
Se volta abrir porta
Pra de novo amar.

Uma nova manhã
Uma nova esperança
Novos apelos
Entusiasmo;
O olhar para o sol
Flores
Abraços e beijos
Desejos
Orgasmo.
Múltiplos orgasmos.

Às portas da nave silêncio
Cidade deserta
Identidade
Passagem;
O resto é mistério

Viagem.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Eu vi amor nos olhos da minha amada



Eu vi amor nos olhos da minha amada.
Seus olhos brilhavam como brilharam somente por mim um dia,
Mas dessa vez eles brilhavam por outra pessoa.

Enquanto ela falava sobre ele uma chama ardente envolvia sua face,
Os olhos brilhavam intensamente
E revelaram uma imagem que ainda está presa na sombra.
Ela finge que não quer libertá-la, e isso a está corroendo por dentro.
Ela se preocupa muito com ela, quer ajudá-lo e não sabe como.
Ela está muito apaixonada



Eu fiquei triste, muito triste.
Estou arrasado.
Ela está sofrendo de uma ansiedade terrível.
Essa aflição de estar dividida entre dois amores ou ter de escolher apenas um é muito difícil.

Como desfazer de um amor para dar lugar a um novo amor se ambos mexem com a alma?
Eu pude ver através dos seus olhos que a aflição estava lhe revirando o estômago.
Ela deve estar sofrendo muito.
  
Eu fiquei triste, muito triste.
Estou realmente arrasado.
Mas reconheço minha culpa, pois confiei demais no meu amor e fiquei cego de felicidade.
Mas algo dentro de mim me alertava, me incomodava o espírito.

Ela deve estar sofrendo muito.
É uma agonia terrível saber que vai magoar alguém em nome da própria alegria. Parece egoísmo.
Mas as leis dos homens não toleram amor divido.
É imoral amar duas pessoas ao mesmo tempo.

Ela deve escolher; ela terá que escolher.
Porque senão estará se entregando a um pensando no outro.
Essa aflição de estar dividida entre dois amores ou ter de escolher apenas um é muito difícil.
Ela sempre estará pensando no outro.
Por isso eu estou triste, muito triste.
Estou arrasado.

Eu vi amor nos olhos da minha amada
E seus olhos brilhavam por outra pessoa.
Ela já fez a sua escolha, só que não tem coragem de dizer.
E isso me deixou em pedaços.

P.S. Fique em paz, meu amor.






terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Agora que estou amando



Agora, que estou apaixonado, confesso que vivo a refletir sobre o amor.
Já usei mil e uma expressões para defini-lo. Todas se enquadram, todas são verdadeiras e exatas, todas me agradam.
As ideias se respeitam, porque respeitam o momento particular do surgimento. Isso é sensibilidade.
Até o silêncio ao se autodeclarar definição de amor foi aplaudido de pé por todas as palavras.

Agora, nesse exato momento, tentando ser atencioso a um turbilhão de palavras eufóricas que borbulham na minha mente, confesso que não sei o que dizer.  Fiquei em dúvida.
Será que existe mesmo uma expressão que defina bem o que é amor?

Não quero repetir frases feitas. Na vida não existe mesmice; o que existe é uma constante renovação. Nem mesmo a pedra insensível dorme pedra e simples pedra amanhece. Vez e outra se vê uma bela orquídea numa fenda aberta pelo tempo. Nada é impossível senão improvável. O milagre é o aperfeiçoamento natural na sua evolução contínua e infinita.
E eu que não sou pedra, e ainda não sou pó, e ainda não sou o fertilizante que serei antes de me integrar a raízes para a magnífica renovação de renascer de novo, agora estou amando... E amar assim, da maneira que estou amando, é se vislumbrar com a paisagem de chegada do fim da viagem. O novo horizonte se mostra como promessa de um sol raiando.

Seria o amor o solou seus efeitos? Aurora ou crepúsculo?
Flores, perfume, cores, encanto... Melancolia de paz.

E eu que tanto amei, e agora amando como jamais imaginei que seria possível se amar, não consigo escolher palavras para bem definir o que estou sentindo.

Amor é uma luz que se forma sutilmente e discretamente vai se expandindo, ascendendo,
Como o preguiçoso sol rompendo o nevoeiro numa manhã de inverno.
Tão logo o vimos, o clarão da luz magnífica, já estamos em meio caminho de uma jornada. Não temos consciência do principio e tampouco do fim da caminhada. Navegamos reluzindo e ofuscando. Mas o amor é essa luz que dá visão ao cego que desconhece a própria cegueira.

Agora que estou amando assim, no limite do possível para esse tempo permitido, sei que não enxergo nem mais longe do passado nem do futuro, todavia, enxergo bem o agora, o que o amor revela em mim.

Agora que estou verdadeiramente amando nem preciso de palavras, o amor é quem fala por mim.


Mas como um pássaro eu canto: Eu te amo!





sábado, 13 de fevereiro de 2016

Vamos fazer um trato?

Meu amor, hoje, voltando do trabalho eu estava pensando:
Como estaremos daqui a algum tempo?
Como passaremos a velhice?
Envelhecer é muito triste, é assustador,
Ainda bem que temos um ao outro;
Eu me apego nesse detalhe para encarar o futuro.
Você pensa sobre isso?

Eu tinha muito medo de envelhecer,
Mas agora sinto apenas insegurança, porque o mundo ainda não está preparado para conviver com essa realidade.
Mas nós temos um ao outro, e isso me deixa bem mais tranquilo.
Estaremos bem se estivermos juntos.
Você já pensou nisso?

Eu vou envelhecer primeiro, bem antes e mais rápido do que você. Veja as marcas do tempo no meu rosto!?
Veja, elas estão cada dia mais profundas.
Antes eu nem percebia.

A mão do tempo começou a esboçar minha nova cara suavemente, com sutileza, e quando vi já estava com esses riscos visíveis. Você consegue imaginar o desenho da minha cara na velhice? Acho que não terei muitas rugas, mas as poucas serão profundas e significativas, pois, a alegria e a melancolia da vida são imprimem a nossa história na nossa face.
Eu sofri muito antes de ter você ao meu lado. Você sabe do que eu estou falando.
Espero que a felicidade se sobreponha a toda dor, porque ao seu lado eu sou muito feliz, e não quero ser um velho que assusta as pessoas com uma expressão feia e triste, como uma máscara de horror. Nenhuma criança ia querer olhar pra mim. E a presença das crianças é importante para reavivar as nossas memórias. E eu quero ser um velho de memória viva. Apesar de que, todo velho é um pouco ranzinza. Quando estou deprimido, às vezes fico ranzinza, eu sei disso.
Você vai ter paciência comigo?
Mas se você ficar fraquinha, antes de mim, eu prometo cuidar bem de você. Já devíamos brincar disso para ir treinando, você sempre diz: “Devemos viver cada dia como se estivéssemos fazendo um laboratório, nos preparando para o amanhã, o desfecho e o misterioso recomeço.”,_ Acho isso tão bonito! Você é a pessoa mais incrível que encontrei na vida. Haja o que houver, seja quando for, em qualquer parada do tempo, eu sempre vou achar que valeu a pena viver, porque você apareceu no meu caminho.
Então, vamos fazer um trato?
Cuidaremos um do outro pra sempre. E aquele que partir primeiro, onde estiver, deve procurar um jeito de continuar cuidando do que ficou pra trás. Mas deve ter responsabilidade em avaliar se será bom ou não se manifestar para que saibam o que está acontecendo. Mas devemos cuidar bem um do outro de onde quer estivermos. Você topa?

Amor, quando este seu homem estiver velhinho, leva-o até o seu lugar preferido perto do rio e o deixe sorrir ou chorar em silêncio revirando o seu baú de memórias. Se estiver cansada ou chateada deixe-o lá e volte depois para resgatá-lo, porque ele sempre saberá que ao seu lado é aonde ele deve ficar.
Mas ele certamente vai precisar ficar sozinho algumas vezes para meditar e escrever poemas. E você sabe, ele não admite, mas morre de vergonha de chorar na sua frente; mas também morre de medo da solidão. Por isso, respeite as suas vontades, faça sempre o que for bom; e o compreenda e o perdoe seu mal humor.
Mas se você ficar fraquinha antes de mim, eu terei prazer em acompanhá-la nos passeios. Vou lhe comprar um chapéu bem bonito e te levar para passear no campo, onde possa ouvir os pássaros e colher flores. Quem sabe você cumpre aquela promessa de tocar violão e cantar pra mim?
Vou ler pra você algum romance clássico e, de vez em quando, vou tentar por no meio da história um dos meus poemas que fiz pra você, só para testar sua memória.
Eu não sei fingir bem. Olho sempre para esquerda enquanto falo, você já deve ter reparado nisso. Você sorri e tenta encarar direto nos olhos. São coisas que a gente precisa conhecer um do outro. Ambos, somos muito observadores.
Prometo passar todas as noites do seu lado; mas você sabe que sou louco por sexo, então...  Daremos um jeito? Mas não será nenhum grande sacrifício me manter em abstinência para respeitar suas vontades.
Sempre fomos criativos. Criativos e suficientes, você diz e eu acredito. Não sou mais tão inseguro.
Adivinha em que estou pensando agora? Posso até sentir seu cheiro.

Falando sério, se um de nós ficar cego ou outro será o seu guia e nunca o deixara se sentir perdido. Não existe escuridão pior do que a ausência da pessoa amada.
Posso te deixar descascar laranjas, fazer comida e até arrumar a cama, mas tem certas coisas perigosas que nunca vou permitir. E não vou abrir mão de tomar banho contigo ou ficar do lado te olhando. E se eu for o ceguinho vou ter que visualizar seu corpo inteiro à maneira de cego todos os dias. Afinal, tenho que decorar como é o seu corpo. Isso é um exercício delicioso.
Dormiremos sempre agarradinhos, sua cabeça no meu peito ou vice-versa. Adoro dormir de conchinha, você sabe, e acho que isso não vai mudar nunca. Ou melhor...,
É tão bom quando dormimos abraçados... Às vezes fico com o braço dormente, mas nem me mexo para não te acordar. Mas sempre quando a gente muda de posição nossos pés ficam entrelaçados, brincando, se acarinhando.
Nossa! Como é bom pensar nisso!

Mas quando temos uma sessão daquelas, o gozo já me deixa zen. E seu orgasmo?! Humm!...
Tudo, com você, é simplesmente fantástico.

Agora, vou dormir um pouco.

Boa noite, amor.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Depois da folia

Quando acaba o carnaval, enquanto se cura de ressaca, todos tentam cobrir a nudez.

Enquanto se vestem das velhas fantasias, as pessoas tentam angustiosamente incorporar o morto encharcado de ilusões e hipocrisias. 
Alguns até se vestem de santo. Outros se vestem de pastores, e outros de pastoreiros;

E pegam seus cajados e tralhas para se sufocarem por um ano inteiro. Ou até que se improvise um carnaval fora de época.

Quem é o verdadeiro? 
Após uma semana de rotina já não se sabe mais. 
A fera vai ficando mansa, doente, moribunda, sendo consumida pela melancolia e pelo stress diário dos afazeres.
Mas ainda restam sobras da folia, da lambança, delírios, o cheiro ou
azedume disfarçado dos dias e noites de orgias.

Frutas podres do cesto vazio que a gente cheira, come, se empapuça e se envenena, por uma fome e sede que nunca sacia. A fome de vida.

Essas almas inquietas!...
Ah, essas almas!

Ciúmes

Ó meu Deus! Como vencer este monstro?!
Quantas cabeças!?
Quantos olhos! Quantas garras!
São tantas lanças afiadas a espetar meu cérebro e tentando furar meus olhos!
E esse veneno no ar!?
Ó meu Deus, dai-me força e coragem!
E discernimento, e paciência, e motivação, ousadia, esperança!...
Ou frieza para sufocar dentro de mim esse sentimento.

Ó senhor, como vencer este monstro?!
Antes mesmo de abrir os olhos já penso nela; quero saber como está, onde está, com quem anda...  
Corro pra Internet para vê-la, olhar seu perfil, ver suas fotos, vasculhar a linha do tempo...
Por onde andou? Com quem falou? Saiu? Com quem? Com quem mais? Será fazendo o quê?
Ela não dorme? Passou a noite em claro? Passou noite fora? Toda a noite? Varou a madrugada?
Voltou pra casa? Terá marcas no corpo? De mordida? Chupada?!
Quem será?
Vai demorar pra acordar?
E se ele for um monstro?
E se essa angústia nunca passar?
Por que só eu não posso vê-la?
Por que não posso tê-la?!
Ligo? Não ligo? Não posso.
Não posso ligar. Dizer o quê?
E se ela não sabe amar?
E essa minha agonia?...
Ó meu Deus! Acho que vou morrer...
 Ou...
Estou morrendo...
Acho que estou a me matar. 






Meus livros

BannerFans.com