Meus livros

BannerFans.com

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Teu Olhar-felicidade

 Poetray
De Sol, Poesia & dor
No amor o coração é quem determina o rítmo.

No olhar neutro encontrei poesia implícita,
_ resposta por uma vida inteira procurada _;
E na tua imparcialidade a nitidez do sentido
Responde ao ontem e hoje o que é felicidade.

Amanhã _ destino quem sabe presente _, prevalecerá d’outrora o agora respondido;
Isto posto, agora definido, agora,
Teu olhar felicidade.

Tardia descoberta.
Tão óbvio, tão evidente, tão lógico o sentido; 
Contudo, até então ignorado;
O que mais poderia ser, senão o teu olhar, felicidade?

Diante de ti, mirando teus olhos, foi que senti pela primeira vez minh'alma flutuar entre estrelas. Mergulhei em ti ao som de harpas angelicais. E na profundidade dessa esfera me regenerei.
E tanto prazer cega-me.
Meu universo, teus olhos, teu corpo, capturou-me e se fechara em globo com luzes e sons e se expande causando-me estranho deleite.
Aprisionado assim quisera ficar; e pra sempre, cativo dentro de ti, e tu prisioneira de mim.

O amor sincero é egoísta; quer o amor só pra si, a seu lado.
E se do contrário fosse, sincero não seria, amor não seria.
O amor, amor não seria.
Não, não seria amor a verdade do teu e do meu olhar-Felicidade.

Tão óbvio, o amor cega-me.
Tão ilógico o sentido se antes imaginado...
Cego,
Tão cego ignoro o elo dourado em teu dedo. Ofusca-me.
Como pode um homem...

Embora incapaz de entender, respeito a aliança. Seria insensatez ousar julgar um coração quando se é ineficiente para atender aos apelos do próprio coração se este insiste em competir com a razão.
_ Será que ela entenderia isso? _ indaga-me a consciência.
Entenderias tu?

Hoje, tinha folhas pelo chão, luzes nas árvores, estrelas artificiais... Cores vivas, reluzentes, por toda parte. Meu espírito voara para junto de ti e, seguro de não julgar e ser julgado, confesso a ti o meu amor. E digo sem hesitar: "eu te amo".

Não vi anjos _ eu queria anjos; 
Nem ouvi sinos e violinos_ eu queria muito ouvir sinos.
Mas ouvi grilos e o tilintar do triângulo da orquestra desafinada do palco escurecido.
Encenei. Não havia plateia. 
Encenei sem viv'alma sequer disposta a aplaudir-me _ exceto os fantasmas fieis, os de sempre, que vivem comigo. 
Mas eu queria palmas, aplausos, gritos, assobios, risos ou vaias!... Gente.
Eu queria gente, mesmo que fosse em mim...
Mas o que sou eu quando nada ou ninguém?

La fora, aqui, em algum lugar na extremidade do cérebro insano, uma fila de palavras famintas, perdidas, ansiosas por forma, à espera, perdidas se engalfinham  aflitas, esperançosas de ganharem sentido. O que mais que pode almejar uma palavra?
As palavras querem sentido. Poucas palavras têm em si, sozinhas, algum sentido...
Eu queria sentido. Eu queria gente, já que jamais consegui ser verbo ou simples palavra.

Agora, entanto, quero amor: teu olhar-felicidade.
Felicidade, esse é o caminho que tem que ser percorrido...

Ho, ho, ho! Ho!... É hora dos fogos...

Mas não ouço sinos!... Nem violinos...
E teu olhar ainda vago.

(Inspirado pela presença de L.S _ 24/12/2015 23:48:16)

sábado, 28 de novembro de 2015

terça-feira, 17 de novembro de 2015

domingo, 23 de agosto de 2015

Em vao


Procura palavras no teto:
argumento
explicação
o que é metafísica;
inventa:
inamar, rehumanização, almica...
Teorias.
Em vão, tudo faz sentido
Em vão
para a mente abarrotada de vazio.
Tudo vão
Fica.
O homem da pauta é sujo.



Longo o percurso
O caminhar lento
Há muitas vias
muitos embaraços ao longo da escuridão do próprio espaço-tempo.
Tão tênue céu
O sol nunca se põe.

Leva consigo todos os pertences
São teus.
Herança do que nunca tive.
Meus bens são neutros
Valem o mesmo que um suspiro.

No outdoor 
O pombo pousa
Arrulha
E numa dança cômica caga na face política.
Bom ser pássaro
A lei é ser livre.

"Ora! respeitem meu barulho!".
Não façam silêncio
Aplaudam.

Bêbado
Amou de menos
Certamente
Bebeu veneno, querer tanto.
Atravessa a rua
Canta lamento
Samba.

Ir pra onde?
Do lado oposto sempre
Há saída.

No espelho
A fisionomia transfigurada
Traços rústicos
Estranho relógio
O tempo,
Se ama sabe o que sente.
Porém, 
No espelho oculto
A mente
Sempre jovem
Homem
Semente.



domingo, 16 de agosto de 2015

A quem pedir socorro?



A quem pedir socorro?

Todo o rebanho está sendo conduzido para o deserto,
E no fim do caminho existe um abismo.
A euforia grita mais alto do que a razão.
A maior perda será a esperança.

Porém, é o arrependimento provocará maior dor,
Porque nada pode causar maior desencanto
Do que saber-se culpado de provocar, além do próprio pranto, a dor de tantos inocentes; pela perda do bom senso, por ignorar-se o potencial, a inteligência, e a voz que grita, grita, bem lá no fundo, a verdade do próprio sentimento.

Quem melhor do que eu para saber o que é melhor pra mim?
Quem melhor do que eu para pensar e decifrar meus anseios?
Quem, senão eu, pode saber o que há de bom em mim?
Quem _ senão eu _, pode saber da minha fé?

Então, por que seguir o estranho travestido de pastor?
Um lobo desconhecido, faminto, o confortará à beira do precipício?

A quem você vai recorrer quando...
Sentir nos ombros o peso da responsabilidade dos seus atos?
A consciência é uma cruz nativa.
As lágrimas dos pais por ver um filho chorar de fome há de sangrar em ti mais do que o golpe de uma espada.
Antes, já preparou seu coração para a sangria?

A quem recorrer quando deveras sentir que...
Desprezaste a liberdade
O direito de pensar?
Embora o milagre da habilidade de pensar seja o primeiro mandamento que Deus a ti confiou, é um dom arbitrário.
E tu, ingrato o desonras?!

Já deste ao inimigo todo o crédito, a confiança, deixando decidir por você o destino. Dar-lhe-á metade da dor dos teus arrependimentos? Como?

Quando não tiver mais credibilidade e perceber que a ganância de outrem o levou a trair-se a si mesmo, e a todos que ama, então, se lembrará de que existe um Deus e o culpará pelo amargo viver e ao Mesmo implorará por socorro. Se der tempo. Por sorte, se tiveres tempo.

Quando terminarem o trabalho para cujo propósito, para o qual o você foi convocado, você será rejeitado e banido. Tomara, as correntes da repressão não o prenda no tronco da política e faça do seu futuro isca de toda conspiração. Seus os trocados serão os mesmos.
Ou você acha que Lobos e Tucanos lhe darão parte da herança? Espere e verá. 

Verá que o maior inimigo dos trabalhadores e povo brasileiro se chama Eduardo Cunha, o demagogo. Aquele que impedi o avanço da justiça e o desenvolvimento do país. E existem muitos lobistas por aí. Espere e verá!

Oxalá, seu prato permaneça cheio desse pão que alimenta a sua insatisfação, porque a fome do lobo bem pode devorar-te o amanhã por inteiro.

Corre! Vai para as ruas enquanto ainda é domingo, dia de cuspir na liberdade e no prato do seu alimento. Vá! Humilhe a liberdade e golpeie a democracia.
E a nossa história terá mais um (uma) a pagar pela traição dos desalmados.

Mas no meio do deserto ainda pode nascer uma flor, pois eu vi no meio da aridez um jardineiro.
E ele cantava assim:


“Sou Dilma, sou gente!”
O que falta é justiça!




Eu quero acreditar




Dizem que depois da tempestade vem a calmaria;
Eu quero acreditar, mas a vida é de uma turbulência que parece nunca ter fim.

Dizem que o céu é de verdade, Deus é justo e o paraíso existe;
Eu quero acreditar, mas os que sempre detêm o poder são obreiros satânicos, e a injustiça tem sido soberana, e o acesso ao paraíso me parece cada dia mais improvável e distante.

Será que no final seremos felizes? Quando?
Depois do nada que somos o mais seremos?
Podemos ser nada sem consciência do fomos e do que somos?
Depois de tornar-me pó o que me importa a vida?
Eu já a vivi, bem ou mal, sou passado.

Somos todos heróis medíocres;
_ Heróis porque vivemos _, sobrevivemos.
Á custa do que sobrevivemos, ainda?
Títulos, estrelas, licenças...
Doutores da morte.

Após tantas e tantas tragédias a vida ainda é vida, continua.
Insistentemente a vida continua; como que por vingança d’algum deus, continua.

Ah, você tem propósito!
Existe algo melhor do que o propósito de viver?
Então por que não conseguimos compartilhar o respeito desse direito de todos?
Ah, somos humanos?!
Eu quero acreditar.

Mas eu simplesmente não consigo!


sábado, 8 de agosto de 2015

DJAVAN




ADRIANA CALCANHOTO: http://www.adrianacalcanhotto.com.br/loucura/index.html


sexta-feira, 19 de junho de 2015

A hipocrisia da oposição

O mundo seria um lugar bem melhor sem os hipócritas. Veja uma carrada de políticos brasileiros hipócritas em trânsito na Venezuela.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Filme _ O Informante

O Informante. Um filme que vai ajudá-lo a compreender melhor a vida. Neste blog, por razões técnicas, o filme foi dividido em duas partes. Divirta-se e aproveite bem.

Filme: Parte I

Filme: Parte II



O Informante

Classificação Etária: 14 Anos - Sinopse: Em 1994, ex-executivo da indústria do tabaco deu entrevista bombástica ao programa jornalístico "60 Minutos", da rede americana CBS. Dizia que os manda-chuvas da empresa em que trabalhou não apenas sabiam da capacidade viciadora da nicotina como também aplicavam aditivos químicos ao cigarro, para acenturar esta característica. Na hora H, porém, a CBS recuou e não transmitiu a entrevista, alegando que as consequências jurídicas poderiam ser fatais. Baseando-se nesta história real, O Informante narra a trajetória do ex-vice-presidente da Brown & Williamson Jeffrey Wigand (Russell Crowe) e do produtor Lowell Bergman (Al Pacino), que o convenceu a falar em público. 

IMDb: The Insider (1999)
Diretor: Michael Mann
Roteiro: Marie Brenner (article The Man Who Knew Too Much) / Eric Roth and Michael Mann
Elenco: Al Pacino (Lowell Bergman), Russell Crowe (Jeffrey Wigand), Christopher Plummer (Mike Wallace), Diane Venora (Liane Wigand), Philip Baker Hall (Don Hewitt), Lindsay Crouse (Sharon Tiller),...
Produtor: Pieter Jan Brugge, Gusmano Cesaretti,...
Música: Pieter Bourke, Lisa Gerrard
Fotografia: Dante Spinotti
País: EUA

quinta-feira, 14 de maio de 2015

O voo

A ave alça voo, sobe bem alto, além dos penhascos e colinas.
As montanhas se aproximam, se agigantam, revelando sobre seu dorso o cerrado, os montes, as nascentes, suas peculiaridades pouco conhecidas; exceto pelas nuvens. Atenta, a ave move levemente a cabeça para um lado e outro para  não perder nenhum detalhe. Ela sabe, por instinto, que toda a lembrança lhe será útil quando mudar a estação. E se entrega ao tempo.
E voa sibilando ao vento.
E canta a natureza, sempre na mesma poesia.
E gorjeando se reverencia; e em silêncio contempla o entardecer, misterioso poente é o véu da noite a envolver o dia.

Ela decora os caminhos, captura imagens, decora as paisagens: campos, vales, relva, as árvores, frutos e flores, estuda a geografia.
Tão deslumbrante lhe parece o mundo, os horizontes e a vasta paisagem.

Asas são para voo, mas também existe magia e prazer ao fixar as garras no instante do pouso e no fazer o ninho. E além!... Livre, ninguém está sozinho.
A ave declina. 
Tão vasta e deslumbrante é a vida.  

Num dado instante, mãos invisíveis cuidadosamente vai afastar o véu. A ave presente. Toda a natureza se manifesta num ritual de alegria.
Alguém orquestra a alvorada. Quem vai conduzir a harmonia?

E de repente dedos longos, luminosos, acorda o dia.
E as mãos se transformam em luz, e a luz esparge energia.
Quão generosa é a vida!... 
Então, ave-alma levanta voo até o cair do dia.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Vida de inseto _ organização




Material de estudo: Gestão de Pessoas
Fonte: Professores da instituição Anhanguera

sábado, 21 de março de 2015

Quero



Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao não dizer: Eu te amo,
desmentes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.

Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.
No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de amar-me,
que nunca me amastes antes.

Se não me disseres urgente repetido

Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.

domingo, 15 de março de 2015

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Dire Straits _ Why Worry



Música Why Worry de Dire Straits no Vagalume!

Dire Straits _ Sultans Of Swing



Música Sultans Of Swing de Dire Straits no Vagalume!

sábado, 14 de fevereiro de 2015

O futuro hoje


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

O lucro do ano da copa


Na reta final da última campanha política para as eleições de 2014, foi uma tremenda correria pelos votos. Eleições e copa do mundo no mesmo ano só podia dar nisso. Aconteceu tudo que eu temia: falência do país. E a culpa não é do governo não!  _ ou você pensa que a culpa pelo caos e pela iminente falência e abandono, e escravização dos trabalhadores, é  culpa do escândalo da Petrobras? Não é não. O legislativo é parasita; os ministérios são ervas daninhas, o senado sanguessuga...

As obras para copa do mundo consumiram toda reserva do país; ou melhor, as obras não, os envolvidos nos projetos de obra da copa acabaram com o país. Claro que não foi só isso. O ano já estava sentenciado ao caos devido à campanha política. Eleições são como dívida com agiotas.

Aquela tradicional correria para retomar o trabalho nas obras abandonadas, há muito tempo paradas, e acelerar o processo para deixá-las com aparência enganosa de grande benefício custa caro. Mas o importante é cortar a fita. Inaugurar. Superfaturamento e propinas é que aceleram esses processos que geram votos. Veja ao seu redor quanto projeto e quanta obra que parecia próximo do fim e que foram inauguradas bem nos dias das eleições e, no entanto, continuam paradas. É vergonhoso. É revoltante. É um abuso. É uma afronta. 

Em Itapevi até os semáforos desapareceram e todos os dias pessoas são atropeladas. Por falar nisso, onde foram parar os semáforos de Itapevi que foram instalados apenas por uma semana? Só ficaram piscando, piscando... O policiamento e a guarda civil só protegem os lojistas e empresários. A calçada de acesso à estação ganhou o sugestivo nome de torce-pé. Antes era calçada da carniça _ um cão ficou morto lá por duas semanas.
Nem se fala! 



Temos de recomeçar. Acho por bem que, as forças armadas deviam tomar o país e uma comissão de justiça devia julgar e punir todo mundo. Por fim descobrir-se-ia o óbvio: o tal do Eduardo Cunha é o maior inimigo do país; o PMDB vive pela lei do Gerson; o PSDB é satânico, e a presidenta não será mártir, mas está sendo esquartejada politicamente como Tiradentes. 

Precisamos de uma nova constituição. Precisamos evitar uma revolução. Precisamos de uma comissão de justiça. Mas essa comissão deve vir de onde? De outro planeta? Boa!

Do inferno, talvez. Ou você acha que Deus enviaria um dos Teus para ser ridicularizado e sacrificado novamente?

Bom dia!

"... Meus heróis morreram de overdose; meus inimigos estão no poder..."

Ideologia!!!

domingo, 4 de janeiro de 2015

Eu decidi mudar e sofri muito com isso


Eu decidi mudar e sofri muito com isso.
No primeiro dia acordei mais cedo.
Rezei ainda na cama, porque pensei que Deus merece exclusividade.
Tomei meu café da manhã sentado à mesa.
Andei na ponta dos pés até ao quarto das crianças e fiquei um tempo, ali, as admirando.
Sangue do meu sangue...
Dei um beijo na esposa e desejei a ela bom dia, embora a gente tivesse brigado.
Estava decidido a mudar, então, dali por diante tudo deveria ser diferente.

Surpreendi meu vizinho ao parar e cumprimentá-lo com um sorriso e um aperto de mão.
Sua esposa _ que acha que sou metido _, sorriu ao meu gesto cavalheiro.
O Rex, seu vira-lata, não latiu, apenas abanou o rabo.
O gato branco e preto, garboso, não desceu do muro.
O colibri permaneceu com a língua comprida enfiada dentro da flor vermelha.
Percebi que havia flores nesse jardim.
E se eu posso oferecer flores, por que oferecer espinhos?
E se espinhos forem necessários, que seja,
Que se vá espinhos, mas sempre junto com flores.

Cheguei ao trabalho distribuindo sorrisos e cumprimentos.
Utilizei como nunca a ferramenta gentileza.
Elogiei o trabalho dos meus companheiros
_ e os elogios eram justos _
Agradeci-lhes pela disponibilidade
E tive um prazer que há muito não sentia ao cumprir meu ofício;
Tanto que, no fim do dia nem sentia o costumeiro cansaço.

De volta pra casa ainda estava disposto.
Brinquei com as crianças;
Dialoguei com a mulher e entendi a esposa,
Mas ainda tinha dúvidas quanto a quem era quem naquele momento.
E vi que embora ainda nos amássemos, meu coração já pertencia à outra.
Mas isso eu não admiti, a covardia comum aos homens ainda prevalecia.
Ninguém muda, assim completamente, em apenas um dia.

Falei com Deus antes de dormir e tive bons sonhos.
E Deus me mostrou que em nada eu havia mudado
Mas que, sim, eu estava voltando ao que devia ser;
O que era antes.

No dia seguinte eu daria um passo importante:
Arriscaria andar do outro lado da rua.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Ano Novo


"Abri as portas da gailoa e libertei o meu amor, por isso eu canto..."
Bom dia!
Bom dia sol!
Bom dia, dia!
Encare o ano como uma criança recém-nascida. Não, não é você a criança, criança é o ano que hoje vive o seu primeiro dia.
Dê a ele as boas vindas. Emocione-se se ele chorar ou sorrir. A criança é inocente, nunca indiferente e, além do mais, ela se espelha na vida para evoluir-se. Você é a referência, é o modelo, é o espelho, é o mestre e o guia. A criança precisa de amparo para caminhar. A criança, tempo, caminha para servi-lo. Ela sabe _ e você sabe _ que ela também será o seu guia. E ela precisa de amparo para proporcionar a você todas as emoções e prazeres da vida. O que você quiser a criança corre e cria. O que você desejar a criança providencia. O que você quer?
Aproveite que a madrugada é fria. Aproveite a manhã que o ar bom, é puro, é o primeiro hálito do dia. O que você quer? Saúde, paz, alegria? Faça seu pedido. Dê a ele a receita e com mãos Divinas a criança carinhosamente providencia; e juntos, seus espíritos então, como uma só alma alimentar-se-ão com o dia. O que você quer?
Se você é egoísta, ofereça à criança o que deseja tomar de volta no fim do dia.
Mas se você é altruísta basta seguir em frente estudando, em vigília, zelando e contemplando a vista.

Aproveite que o tempo é bom. Um anjo, que conhece o tempo e gerencia as horas é que anuncia: aproveite agora, hoje, o instante da sua estadia;
Seja honesto. Seja fiel à ética escolhida. Mas faça do amor a sua ética e a defenda para a sua vida.
Seja autorresponsável. Só assim o homem evolui;
Seja gentil. Gentilezas são como nuvens no céu. Como você deseja que seja o seu dia? Valorize o próximo e lhe seja grato por ele existir e proporcionar a você condições de ser quem você é ou será;
Seja dedicado. Vista a camisa da vida, da existência, do ser, e faça acontecer, além de persistir, faça tudo no limite da sua competência;
Serviço... _ sem ofensa _, você nasceu para servir. Ofereça o melhor de si, faça bem feito, compartilhe o seu dom, viva com comprometimento. Não tem jeito, não tem como fugir, esse é o seu momento.
Criança, criança!... foi um anjo quem disse: “Esse é o ano da avaliação espiritual, o primeiro dos próximos que antecedem o fim.”
Cuide-se bem! Que tal cuidarmos juntos, eu de você e você de mim?

Bom dia!

Meus livros

BannerFans.com